Recordações de amor não passam jamais. Perduram, orientam e influenciam muito tempo depois que a fonte do estímulo desapareceu. Nada há de novo nisso. Todos os que se sentiram tomados de amor verdadeiro, sabem que deixam traços permanentes no coração humano. O efeito do amor perdura, porque o amor é espiritual por natureza. O homem que não pode ser levado a grandes alturas de realizações pelo amor está perdido – está morto, embora possa parecer vivo.

Volte a seus anos passados, às vezes, e banhe a mente nas maravilhosas recordações do amor passado. Suavizará a influência de preocupações e aborrecimentos presentes. Isso lhe dará uma fonte de fuga das desagradáveis realidades da vida e, talvez – quem sabe? – sua mente lhe trará, nesse refúgio temporário no mundo da fantasia, ideias ou planos que podem mudar inteiramente o status financeiro ou espiritual de sua vida.

Se você acha que é infeliz por ter amado e perdido o amor, ponha de lado tal pensamento. Quem amou, verdadeiramente, nunca perde por completo. O amor é caprichoso e temperamental. Vem quando quer e vai sem avisar. Aceite-o e goze-o enquanto dura, mas não perca tempo em se preocupar com sua partida. A preocupação não o trará de volta.

Despache também o pensamento de que o amor só vem uma vez. O amor pode ir e vir inúmeras vezes, mas não há duas experiências amorosas que nos afetem de maneira igual. Pode haver e, geralmente há, uma experiência amorosa que deixa marcas mais profundas no coração que as outras, mas todas as experiências são benéficas, exceto para quem se torna ressentido e cínico quando o amor parte.

Não deve haver desapontamento em matéria de amor e nem haveria se as pessoas entendessem a diferença entre as emoções do amor e do sexo. A diferença principal é que o amor é espiritual, enquanto o sexo é biológico. Nenhuma experiência que afete o coração humano com força espiritual pode ser prejudicial, exceto por ignorância ou ciúme.

O amor é, inquestionavelmente, a maior experiência da vida. Permite a comunhão com a Inteligência Infinita. Quando misturado às emoções do romance e do sexo, pode levar bem alto na escada do esforço criador. As emoções do amor, sexo e romance são facetas do eterno triângulo do gênio realizador.

O amor é uma emoção de muitas faces, matizes e cores. O tipo de amor mais intenso e ardente é o que se experimenta quando se reúnem as emoções de amor e sexo.

Os casamentos que não são abençoados com a eterna afinidade do amor, bem equilibrado e proporcionado com o sexo, não podem ser felizes – e raramente perduram. Amor apenas não trará felicidade no casamento, nem só o sexo. Quando essas duas maravilhosas emoções se conjugam, o matrimônio trará um estado de espírito, que é o mais espiritual a que se pode chegar neste mundo.

Quando a emoção do romance se acrescenta às do amor e do sexo, removem-se os obstáculos entre a mente finita do homem e a Inteligência Infinita.

Nasce então o gênio!

Napoleon Hill