Eu vou fazer 3 textos explicando os motivos. Acompanhe os dois outros nos próximos dias. 1º - Crenças limitantes

Você quer avançar na vida, mas parece que algo impede? Não consegue sair do lugar? Você sabia que crenças limitantes podem ser a causa de você não conseguir alcançar os seus objetivos? No final do texto, eu vou dar duas dicas que podem ajudar você melhorar os seus resultados.

Crenças limitantes são pensamentos negativos conscientes ou inconscientes que são contrários aos seus objetivos e podem usar o medo, ou a preguiça, ou uma sucessão de problemas para impedir que você avance. O subconsciente não está sabotando você, ele apenas está tentando impedir que você sofra, baseado nas suas crenças.

Uma boa parte das suas crenças limitantes foram colocadas em sua mente, na maioria das vezes, até os 7 anos de idade, quando você acreditava em tudo o que pessoas de autoridade falavam como por exemplo seus pais, professores, padres, pastores ou outras pessoas que você respeitava.

Depois que você cresceu, pode ter mudado de crença na mente consciente, mas a mente subconsciente continuou com as crenças que você tinha até os 7 anos quando não questionava se o que as pessoas falavam era certo ou errado. Nas áreas da vida em que isso mais acontece, você não consegue avançar ou avança com muito esforço, porém o resultado é muito menor do que o esperado. É como se arrastasse um peso que impede você de ir mais longe.

Se você não se empenhar em mudar essas crenças, continuará se esforçando e terá um resultado muito abaixo do seu esforço.

As crenças inconscientes são mais difíceis de encontrar e, talvez, você precisará de um profissional para ajudar nessa busca, mas você pode começar a mudar as crenças que tem consciência e, com isso, você perceberá muitas melhoras em sua vida.

Verifique em qual área você tem mais problemas. É nela que estão as suas maiores crenças limitantes. Comece a se fazer perguntas. Por exemplo, se você tem problemas com dinheiro, pergunte-se: “o que me ensinaram sobre o dinheiro até os meus 7 anos?” Talvez, você tenha ouvido uma ou mais dessas crenças:

Gente rica é desonesta;
Só fica rico, quem explora as pessoas;
Dinheiro não traz felicidade;
Pessoas ricas são más;
Dinheiro é sujo, lave as mãos depois de pegá-lo;
Pessoas ricas são gananciosas;
Dinheiro não dá em árvore;
É muito difícil ganhar dinheiro. Tem que suar a camisa;
Dinheiro é a raiz de todo o mal;
O amor é mais importante do que o dinheiro;
Se eu for rico, não entro no reino do céu;

Comece a se livrar das crenças conscientes, invertendo a crença, por exemplo:

Gente rica é desonesta – mude para: existem pessoas ricas que são honestas, bondosas e generosas, eu posso ser uma delas;
Só fica rico, quem explora as pessoas – mude para: pessoas ricas criam empregos e nem todo rico explora pessoas.
Se eu for rico, não entro no reino do céu – mude para: todas as riquezas vêm de Deus e, quanto mais eu estou junto de Deus, mais eu desfruto dessas as riquezas - considere, aqui, a riqueza conseguida de forma honesta.
Dinheiro é a raiz de todo o mal – mude para: o dinheiro, por si só, não é bom ou ruim, mas é o homem quem decide se ele será usado para o bem ou para ao mal. Eu escolho usar para o bem.

Outras crenças podem ter surgido ao longo da vida, observando comportamentos ou situações e chegando à conclusão de que aquilo é verdade, mas se essa crença atrapalha a sua vida, substitua por outra que traga melhores resultados, por exemplo: uma mulher pode ter sido traída e ter visto outras mulheres serem traídas também e chegou à conclusão de que nenhum homem presta. É claro que isso não é verdade. É impossível que nenhum homem preste nesse planeta e você deve conhecer bons homens, mas se você continuar pensando assim, uma parte do seu cérebro que filtra a sua atenção, chamada formação reticular, concentrará o foco em encontrar apenas homens que não prestam para confirmar a sua crença. Isso vale também para os homens que acreditam que nenhuma mulher presta. Ou você muda a sua crença, ou vai experimentar o famoso “dedo podre”. Escolha boas suas crenças e mude o seu destino.

As crenças podem acontecer em qualquer área da vida. Eu acreditava que se eu tomasse chuva, ficaria resfriada e minha crença se confirmava toda vez que isso acontecia até que, um dia, fiz uma oração que dizia que a saúde está no espírito que anima a matéria e, não, na matéria. Se a saúde estivesse só na matéria, uma pedra começaria a tossir quando tomasse chuva. É óbvio que isso não acontece. Quando mudei a minha crença de que a chuva não causava doença no meu espírito, parei de ficar resfriada quando o evento acontecia. A minha crença era como uma instrução no meu manual interno que informava para as minhas células: se tomar chuva, crie resfriado e, é claro, meu organismo sempre cumpria a instrução.

Vou ensinar dois exercícios simples para mudar crenças.

1. Pense numa crença negativa. Transforme-a em uma crença positiva e escreva 30 vezes.
2. Fale ou mentalize essa crença 30 vezes antes de dormir e 30 vezes assim que acordar.

Sabendo de tudo isso e praticando, a sua confiança aumenta, significativamente, pois você passa a contar uma história diferente para si mesmo, sendo o seu maior incentivador e, portanto, o seu melhor amigo!
Repita os exercícios por, pelo menos, 21 dias. Esses exercícios começarão gravar a nova crença no seu subconsciente. Você vai perceber que o seu comportamento começará mudar.

Se você precisar de ajuda para encontrar as crenças inconsciente, faça terapia. Essas crenças podem tornar a sua vida muito complicada. Imagine como se sentiria feliz se pudesse se livrar das amarras que são um peso, dificultando ou impedindo o seu sucesso e podendo alcançar seus objetivos com muito mais facilidade.

Você acredita que merece ser mais feliz? Pense a respeito!

Se esse texto ajudou você a encontrar saídas para melhorar a vida, compartilhe para que outras pessoas também possam se beneficiar.

Com todo o meu carinho.... beijos 😊

Denise Monteiro
Hipnoterapeuta
16 98148-2000

Gostou desse conteúdo?

Participe da nossa lista VIP e receba conteúdos exclusivos via e-mail. É grátis: